segunda-feira, 19 de maio de 2014

Devoção franciscana para com a Virgem


Em sua “devoção” Francisco une Maria a Jesus, seu filho.
69. – A bem-aventurada Virgem Maria é tão honrada – como é justo – porque trouxe Cristo em seu seio abençoado. (III Carta, 21) 

70. – O Verbo do Pai, tão digno, tão santo e glorioso, de quem o Pai anunciou a chegada, por seu Santo arcanjo Gabriel, à santa e gloriosa Virgem Maria, do seio da qual o Verbo recebeu verdadeiramente a carne de nossa humanidade frágil. (1 Carta, 4) 

Ela foi escolhida e consagrada por Deus. 
71. – SALVE, Mãe de Deus, ó Maria. Escolhida pelo santíssimo Pai do céu, o qual vos consagrou com seu dileto e santíssimo Filho e o Espírito Santo Consolador… Salve, Palácio de Deus! Salve, Tabernáculo de Deus! Salve, Casa de Deus! Salve, Traje de Deus! Salve, Serva de Deus Salve, Mãe de Deus! (Saudação à SS. Virgem, 2,4,5) 

Ela recebeu a graça e a santidade em plenitude. 
72. – Ó Maria, Virgem Santíssima, não há outra semelhante, nascida neste mundo, entre as mulheres; filha e serva do Rei altíssimo, o Pai celeste; mãe de Jesus Cristo, nosso Senhor; esposa do Espírito Santo. (Of. da Paixão, 12) 

73. – Salve, Senhora Santa, Rainha Santíssima, Mãe de Deus, ó Maria, que sois a Virgem perpétua… Vós em quem houve e permanece Toda a plenitude de graça e todo bem. (Saudação à SS. Virgem, 1,3) 

Ela é nossa advogada junto de Deus
74. – Francisco amava a Mãe do Senhor Jesus com um amor indizível, pois foi ela quem nos deu como irmão o Senhor de majestade e por ela obtivemos misericórdia. (Boav., IX, 3) 

75. – “Em Rivo Torto não temos nenhuma igreja em que possamos rezar o Ofício e louvar a Deus e sua Mãe Santíssima, a quem sempre pedimos que seja nossa advogada”. (Fioretti, ad. II) 

76. – O homem de Deus tinha uma devoção fervente por Maria, Senhora do Mundo… Fixou-se em Porciúncula por causa de seu amor pela Mãe de Cristo. Amou sempre este lugar mais do que qualquer outro no mundo. . . ; foi este lugar que, ao morrer, confiou aos irmãos como particularmente caro à Virgem… Foi neste lugar que Francisco, impelido por Deus que lhe revelou sua vontade, fundou sua Ordem dos Frades Menores. (Boav., II, 8) 

77. – Não convinha que o nascimento de uma Ordem de virgens… se desse num outro lugar que não num templo consagrado à primeira, e à mais digna de todas as mulheres, a única que é virgem e mãe ao mesmo tempo, no mesmo lugar em que a nova cavalaria dos pobres começa a exercitar-se gloriosamente sob a ordem de Francisco. Desta maneira, a Mãe de misericórdia mostrava claramente a todos que era ela que, em seu santuário, dava origem à primeira como à segunda Ordem. (Vida de Clara, 8) 

78. – Ordeno a todos os meus irmãos, quaisquer que sejam, aos atuais e aos vindouros, que a honrem e glorifiquem sempre, de todo jeito e de toda maneira que for possível, e de tê-la em muito grande devoção e veneração. Quero ainda que sejamos sempre seus fiéis servos. (Fioretti, ad. II) 

79. – Inventava louvores para ela, fazia chegar suas orações até ela, consagrava-lhe os impulsos de seu coração: nenhuma língua humana saberia dizer quantas vezes e com que fervor. (II Celano, 198) 

Imita-lhe as virtudes 
80. – Pouco antes de morrer escreveu-nos dos, mais uma vez sua última vontade; “Eu, o pequeno irmão Francisco, quero seguir a vida e a pobreza de nosso altíssimo Senhor Jesus Cristo e de sua Santíssima Mãe, e quero perseverar neste caminho até a morte. (R. de Clara, VI) 

81. – E quando for necessário, que vão pedir esmola… “pois pobre e peregrino, viveu de esmolas, Ele, e a bem-aventurada Virgem, e seus discípulos”. (1 Regra, IX, 6) 

82. – “Se não puderes atender de outro modo as necessidades dos irmãos, despoja o altar da Virgem e tira-lhe os enfeites. Crê-me: ela ficará muito mais contente em ver o Evangelho de seu Filho observado e seu altar despojado, do que seu altar enfeitado e seu Filho desprezado”. (II Celano, 67) 

Recorre à proteção dela 
83. Francisco permaneceu algum tempo na dela igreja da Virgem Mãe de Deus, pedindo-lhe, com súplicas incessantes e contínuas, a graça de tornar-se o protegido dela. (Boav., III, 1) 

84. – Depois de Cristo colocava sua confiança em Maria e a escolheu como padroeira sua e dos seus.(Boav., IX, 3) 

85. – Francisco, estigmatizado, despediu-se do Alverne dizendo: “adeus, Santa Maria dos Anjos do Alverne: – eu te recomendo estes meus filhos, ó Mãe do Verbo eterno”. (Fioretti, ad. XX)

Fonte: www.franciscanos.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário